Nadia Nenhum comentário

O Grupo Boavida, através da sua empresa Portandum efectua nos próximos dias a primeira grande exportação de ferros  a partir de Cassinga na Huila

, resultado  de um investimento aproximado de 100 milhões de dólares.
A informação avançada pelo Presidente do Conselho de Administração do Grupo, Sr Tomasz Dowbor dá conta que a primeira exportação da empresa, por sinal afecta ao Grupo, vai culminar com a reactivação da exploração da mina de Cassinga que esteve paralisada por mais de 40 anos.
Para este grande feito, o Presidente do Conselho de Administração do Grupo Boavida considerou o momento de “histórico e marcante para a economia nacional “. Em declarações ao jornal “Valor”, Tomasz Dowbor avançou  receitas estimadas entre os três e quatro milhões de dólares . O líder do Grupo destacou ainda que os planos da instituição passam pela venda das primeiras 50 mil toneladas para a China no final do mês de Fevereiro, a partir do porto do Namibe.
Do valor investido, disse, 10 milhões de dólares foram aplicados na exploração primária do mineiro, onde a maior parte foi canalizada para a criação da capacidade de escoamento. Sobre o assunto, Tomasz Dowbor frisou que a empresa perspectiva produzir cerca de um milhão de toneladas por mês correspondente ao valor proporcional da mina.
A exportação de ferro resulta da aposta do Grupo Boavida na diversificação dos negócios iniciada há quase dois anos para fazer face a crise económica e financeira.