Hélio No Comments

Com a crise económica que Angola enfrenta desde o final de 2014, resultante da baixa significativa do preço do barril de petróleo a nível internacional,

um grande desafio foi lançado no mercado nacional a todos as empresas, a necessidade de diversificar a economia e aumentar a produção interna de bens e serviços, sobretudo às instituições privadas – enquanto essenciais para o processo de diversificação económica, criação de emprego e fomento de um mercado autossuficiente.

 

Desta feita, o Grupo Boavida, ciente da sua responsabilidade e comprometimento com o país, decidiu em 2016 investir cerca de 50 milhões de dólares na agroindústria, através da aquisição e operacionalização de uma fazenda na província do Bengo, em Caxito, capaz de produzir e comercializar bens de primeira necessidade. «Pretendemos com este investimento, ajudar o Governo angolano no aumento da oferta de produtos agrícolas e da pecuária com qualidade, a preços competitivos e que estejam ao alcance da população economicamente mais desfavorecida», assegurou o PCA do Grupo Boavida.